sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Balanço Geral - dá tempo!!!

Nooooossa... o ano de 2009 terminou bem antes aqui no blog. Fiquei mega ausente, com muitas coisas acontecendo na minha vida. Andei por caminhos diferentes e como qualquer experiência diferente, causou impressões e que não foram boas. Andei, me esforcei, me arrastei e no fim, não valeu a pena o rumo que tomei (ao menos tomei um rumo, posso chegar ao fim da jornada e dizer que valeu ou não a pena, afinal, eu enfrentei aquilo, eu vivi e é por isso que qualquer caminho vale a pena). Ainda bem que sempre há tempo de voltar, sempre passa uma mão amiga para te resgatar e hoje, com toda certeza, digo que estou livre. Foram muitos fatos em 2009 e todos eles merecem ser comentados, ou ao menos os que eu me recordar ou simplesmente julgar serem mais importantes.
O que deveria ter acontecido aqui no blog (coisa rotineira) e que não rolou, foi o tradicional post de fim de ano. Um clássico, tipo vestido de bolinhas e óculos grandes... mas eu vou fazer agora. Ainda é Janeiro, ainda dá tempo... na verdade, sempre é tempo quando se faz o próprio tempo.


Não posso reclamar totalmente de 2009. Trabalhei onde eu quis, fui feliz, fiz amigos maravilhosos que tenho até hoje, aprendi o valor das coisas, aprendi mais a trabalhar em grupo, aprendi que famílias podem coexistir e eu fiz a família que eu escolhi dividir um espaço dentro de mim junto com minha família oficial. Uma família que eu montei, que eu escolhi a dedo, no meu trabalho. Mas não foi um ano pleno. Acabei saindo desse trabalho maravilhoso por motivos que não foram meus, não foram da empresa, mas foram de terceiros. Tive de aceitar, mas doeu bastante. Corri atrás de outro emprego. E esse foi o
caminho que eu segui, errado, o qual citei no início. Hoje, essa fase passou. Larguei o que me deixava infeliz, estou procurando essa felicidade e tenho certeza absoluta que vou encontrar.

Me dei super bem na parte dos amigos... revivi umas amizades, criei outras mais e cuidei das minhas mais antigas. Fui bastante feliz com relação a isso e quero sempre mais. Quero descobrir mais pessoas que valham a pena, mais pessoas que podem contar comigo e que essa troca exista. Quero descobrir pessoas que buscam uma amizade verdadeira, que nunca tiveram, que querem a primeira. Quero ser feliz e distribuir felicidade. A quem merece.


A parte do amor foi sensacional. Tive amor "bandido", sexo casual e depois ficou sério. O amor bandido foi interessante, com diversos flertes, mãos na bunda onde e quando não poderia ser, beijos rápidos e escondidos, sexo no banheiro feminino e não passou disso (na verdade, não podia passar disso). Já me perguntaram se sinto saudades disso ou se gostaria que isso tivesse parado na horizontal. Já quis experimentar mais um pouco sim, mas o tempo seeempre foi contra. E eu já lutei muito contra o tempo, contra as adversidades e aprendi a respeitá-los e entender os seus sinais.

O sexo casual foi uma experiência que jamais esquecerei. Tive parceiros fantásticos, que realmente entenderam a proposta, que, se hoje eu ligasse para eles, continuaria sendo casual. Não nos amávamos, mas gostávamos um do sexo do outro e essa química é que era importante entre nós. Na contramão disso existiam alguns que não entendiam a idéia e partiam para o amor. Foi uma merda, já que eu tinha que deixar claro que jamais corresponderia àquela expectativa., fora o fato de, além de ser amor, o sexo não era bom. Se realmente existisse amor por minha parte, não daria certo, porque uma parte dele não funcionava e ninguém merece um amor pela metade. Ok, fui fria... mas não sejamos hipócritas, ok? Não faço caridade.

Por fim, parei com essa vida quando conheci meu namorado atual e estamos firmes até agora. Nenhuma briga, nenhuma alteração de voz, absolutamente nada que pudesse nos abalar, nada que pudesse nos fazer pensar se é isso mesmo que queremos a nós mesmos. Por enquanto, é isso o que queremos e a cada dia que passa, temos nos dado mais prova disso. Estou feliz. Passei por muitas fases e estou feliz. Passaria por todas novamente (ok, ok, eu adoro sexo) para chegar até aqui.


Por fim, um ano que certamente ficou marcado em mim. Claro que mais coisas aconteceram, mas foram tantas, são tantos detalhes, que agora, no meu estado alcoólico atual, não conseguiria descrever. Mas sei muito bem do que estou falando e uma coisa é certa: 2010 promete. Em tudo. Para todos.